Ir para conteúdo
Novas Notícias
  • Prezeado players, atualizamos o designer do nosso fórum deixando mais moderno e fácil de se utilizar. Pedimos desculpa pelo tempo que ficou offline pois foi necessário para da mais conforto a vocês players, atenciosamente equipe desenvolvimento fórum.
  • Atualização Fórum

danzeer

Membro
  • Total de itens

    87
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

Profile Song

danzeer ganhou no último dia Janeiro 7

danzeer teve o conteúdo mais curtida!

Reputação

38 Nice

6 Seguidores

Sobre danzeer

  • Rank
    Membro raiz

Últimos Visitantes

149 visualizações
  1. Mc Daleste Daniel Pedreira Senna Pellegrine, ou MC Daleste, (1992-2013) foi um cantor e compositor brasileiro, um dos responsáveis pela popularização do funk ostentação. Fazia mais de quarenta shows por mês. Durante uma apresentação em Campinas, foi assassinado com um tiro que lhe acertou o peito. MC Daleste nasceu no bairro da Penha, zona leste de São Paulo, no dia 30 de outubro de 1992. De família pobre, ficou órfão de mãe ainda muito jovem. Era um aluno indisciplinado, só estudou até a oitava série, época que conheceu sua esposa, com quem foi casado durante 5 anos. MC Daleste iniciou sua carreira musical em 2009, divulgando na internet, suas músicas “Bonde dos Menor” e “Apologia”, onde fazia apologia ao crime. Em 2012, suas músicas passaram a falar da vida de ostentação dos milionários. Gravou “Deusa da Ostentação”, “Mina de Vermelho”, “Água na Boca” e “Angra dos Reis”, ano em que começou a aparecer na mídia. MC Daleste não chegou a gravar nenhum álbum de estúdio, só gravou faixas soltas para download digital no iTunes. Lançou apenas um videoclipe com a canção “O Gigante Acordou”. Após sua morte foi lançado o videoclipe da música “São Paulo”, gravado em uma mansão no interior de São Paulo, poucos dias antes, que alcançou um milhão de acessos no YouTube. MC Daleste faleceu em Paulínia, no dia 7 de julho de 2013, vítima de um tiro durante um show em Campinas. exemplos de músicas:
  2. Diego Tardelli Martins, mais conhecido como Diego Tardelli (Santa Bárbara d'Oeste, 10 de maio de 1985),[1] é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Atualmente joga pelo Shandong Luneng. Características[editar | editar código-fonte] Atacante de origem, Diego Tardelli destaca-se por sua movimentação dentro de campo, tornando-o um jogar versátil em campo, podendo jogar na referência no ataque como centroavante ou também como um segundo atacante, jogando pelas pontas. Suas principais características são velocidade e finalização de curta e longa distância. Carreira[editar | editar código-fonte] O início[editar | editar código-fonte] Diego Tardelli iniciou sua carreira no Partner Football, clube empresa de Curitiba. Chegou a ser emprestado para as categorias de base do Santos, na mesma geração de Robinho e Diego. Porém, devido a problemas disciplinares, o jogador acabou sendo devolvido ao clube de Curitiba. Após isso, em negociação conturbada, apareceu atuando no União Barbarense, e aos 18 anos foi levado pelo São Paulo através de mais uma polêmica transação com o clube interiorano da qual ficou avaliada em apenas 21 mil reais,[2] um valor extremamente baixo para os padrões do futebol. Ainda nas categorias de base do Tricolor Paulista, Tardelli era conhecido como Dinei, atacante e ídolo do rival Corinthians, pois, a exemplo do corintiano, pintava seus cabelos de loiro.[3] São Paulo[editar | editar código-fonte] Em 2003, chegou para integrar as categorias de base do São Paulo. Diego Tardelli surgiu durante a Copa São Paulo de Juniores de 2004, como uma das principais promessas do futebol brasileiro, quando chegou até a final do campeonato, vencida pelo Corinthians. Já no ano seguinte, tornou-se titular do time principal do São Paulo, tendo sido destaque na conquista do Campeonato Paulista de 2005, artilheiro da equipe com 12 gols. Em seguida, na final da Taça Libertadores de 2005, fez um dos gols, na vitória de 4 a 0 sobre o Atlético-PR, que deu ao São Paulo seu terceiro título nesta competição. Anos depois, mais precisamente em 2014, Tardelli disse que ficou certa mágoa com o Tricolor Paulista. Segundo o atacante, "eu era visto como um talento que não despontava, jogador-problema. Talvez eu tenha me empolgado no momento errado. Tinha 17, 18 anos, ia pra balada e chegava atrasado aos treinos. O São Paulo poderia ter me dado cobertura e instrução, mas nunca me defendeu. Aí a imprensa deitava e rolava. A manchete do dia seguinte era sempre garantida. Na situação difícil, ninguém ficava do meu lado."[4] Europa e retorno ao Brasil[editar | editar código-fonte] Contudo, a carreira de Tardelli no São Paulo, logo acabaria esbarrando em seu temperamento difícil. Envolvido em seguidos problemas disciplinares, acabou sendo emprestado ao Real Betis, da Espanha, mas não obteve sucesso. Em 2006, Tardelli retornou ao Brasil, emprestado ao São Caetano, sob o aval do treinador Emerson Leão, com quem já havia trabalhado no São Paulo. Porém, após somente sete partidas, Tardelli trocou o São Caetano pelo PSV Eindhoven, dos Países Baixos. Na Holanda , recuperou o bom futebol, com belas exibições e alguns gols importantes, Tardelli foi um dos responsáveis pelo título do Campeonato Holandês de 2007.[5] Terminado seu empréstimo junto ao PSV, Tardelli retornou ao São Paulo, em meados de 2007, onde conquistou o Campeonato Brasileiro. Flamengo[editar | editar código-fonte] No início de 2008, foi contratado pelo Flamengo, para a disputa da Libertadores da América daquele ano. Contudo, antes mesmo de ser integrado ao elenco rubro-negro, Tardelli já havia se envolvido em uma polêmica com Souza, que, à época, era o atacante titular do Flamengo. Tardelli acabou sendo bem recebido na Gávea, até mesmo por Souza. Não conseguiu, porém, se efetivar como titular. Oportunidade, que surgiu durante a final do Campeonato Carioca, Tardelli entrou no segundo tempo do jogo que estava empatado e levaria a decisão para os pênaltis, mas Tardelli fez o gol da vitória, ele acertou um belo chute de fora da área, o golaço deu o título de Campeão Carioca ao Flamengo, que também se tornou o recordista de títulos estaduais. Passado o Campeonato Carioca, Tardelli voltou a ser irregular e, com isso, não conseguiu firmar-se como titular. Todavia, no meio da disputa do Campeonato Brasileiro de 2008, com a saída de vários atacantes rubro-negros para o exterior, a vaga de titular passou a ser sua. Porém, logo em seguida, Tardelli sofreu uma fratura no braço direito, que o deixaria de fora do restante da temporada. O auge no Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte] Para a temporada de 2009, o Atlético Mineiro contratou o jogador, adquirindo cinquenta por cento de seus direitos econômicos. Logo em sua primeira temporada, fazendo dupla de ataque com Éder Luís, que havia retornado de empréstimo do São Paulo, Tardelli virou um ídolo do Galo e de sua torcida pelo alto número de golsmarcados e atuações decisivas.[6] O presidente do Atlético chegou a declarar que havia recusado uma proposta de 23 milhões de reais pelo jogador. Ao final da temporada, Diego Tardelli conquistou vários prêmios, entre eles o Prêmio Arthur Friedenreich, dado ao maior artilheiro da temporada,[7] o prêmio de melhor "primeiro atacante" do Campeonato Brasileiro de 2009, em disputa com Fred (Fluminense) e Fernandinho (Barueri), entre outros. Devido ao grande futebol apresentado no ano, os rumores de que Tardelli teria propostas de outros clubes aumentaram. O Benfica, de Portugal, era um dos mais especulados. Com a demissão de Celso Roth e com a badalada contratação de Vanderlei Luxemburgo, o novo treinador garantiu que Tardelli ficaria, rasgando elogios a ele. No ano seguinte, Diego Tardelli seguiu brilhando, desta vez, formando dupla de ataque com Obina, contratado para substituir Éder Luís, que havia se transferido. Entretanto, Obina se machucou pouco tempo depois, e Tardelli assumiu mais uma vez a responsabilidade de comandar o ataque atleticano, sendo um dos responsáveis pelo título do Campeonato Mineiro de 2010, o seu primeiro título pelo clube. Em 30 de outubro de 2010, Tardelli completou 100 jogos com a camisa do Galo, e recebeu uma placa em sua homenagem. No ano de 2011, segue marcando gols. Em 12 de fevereiro, fez três no clássico contra o Cruzeiro e se torna o sexto jogador atleticano na história do clássico Atlético X Cruzeiro a marcar 3 gols numa mesma partida, ajudando o Atlético a vencer por 4-3. Anzhi Makhachkala[editar | editar código-fonte] No dia 8 de março de 2011, a imprensa russa anunciou a oficialização do acerto entre Diego Tardelli e o clube russo Anzhi Makhachkala, em um contrato de 4 anos de duração. O jogador teve 62,5% do seu passe, vinculados ao Atlético Mineiro, negociados com os russos por 5 milhões de euros, cerca de 11,5 milhões de reais.[8] Dois dias depois, Tardelli anunciou em seu twitter oficial que a negociação estava realmente concretizada. No Anzhi, Tardelli irá jogar ao lado dos ex-corintianosRoberto Carlos e Jucilei. Ele vestirá a camisa de número 9, número com o qual se destacou no Atlético Mineiro. No dia 3 de outubro de 2011, o jornalista Tino Marcos, que estava na Rússia, noticiou que o jogador deixaria o clube russo em janeiro. Em uma entrevista o próprio Tardelli revelou seu desejo[9] de voltar a atuar pelo Atlético, dando preferência ao clube nas negociações, tendo até conversado com o presidente Alexandre Kalil. Outros clubes estiveram interessados, como o Palmeiras, times da Turquia e até mesmo do Qatar, porém seu interesse seria o de voltar ao Brasil. Al-Gharafa[editar | editar código-fonte] Após um ano de insucesso no Anzhi, Tardelli manifestou seu interesse de voltar ao Brasil. Foram semanas de negociações com equipes brasileiras (principalmente Atlético Mineiro, Palmeiras e Corinthians), mas no final acabou acertando sua transferência no valor de 4 milhões de euros para outra equipe do exterior, dessa vez o Al-Gharafa, do Qatar.[10] O retorno ao Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte] Em 2013, após um longo período de negociações, o retorno de Diego Tardelli ao Atlético Mineiro foi anunciado pelo presidente Alexandre Kalil no dia 3 de fevereiro. O jogador assinou um contrato de 4 anos e estima-se que o valor da negociação tenha sido por volta dos 5,25 milhões de euros.[11][12] Não demorou muito para Diego Tardelli voltar a cair nas graças da torcida. Por seu futebol de refinada técnica e sua voluntariedade tática, constantemente é reverenciado pelos torcedores atleticanos, que entoam cânticos feitos especialmente para o atleta. Segundo o colunista Tostão, para o qual faltaria à seleção um jogador com as características de Tardelli, ele "não é um centroavante, um meia de ligação nem um ponta. Ele é uma mistura de tudo isso. Toca e avança. Dribla, dá passes e faz gols.[13] Em 2013 sacramentou sua posição de ídolo da torcida do Atlético Mineiro ao participar decisivamente da campanha do título da Libertadores daquele ano. Foi vice-artilheiro da competição, com 6 gols. No dia 23 de julho de 2014, Tardelli marcou seu centésimo gol com a camisa do Galo na final da Recopa Sul-Americana, ajudando o Atlético na conquista do inédito título, e sagrando-se artilheiro da competição.[14] Ainda em 2014, Tardelli continuou a escrever seu nome na centenária história do clube ao marcar o gol do título da Copa do Brasil sobre o arquirrival Cruzeiro.[15]Com mais este gol sobre o Cruzeiro, o goleador se juntou a Nilson, Paulo Isidoro, Guilherme e Lauro como o 6º maior artilheiro do Atlético em clássicos, com nove gols, deixando para trás Éder Aleixo, Dario e Nívio, que marcaram oito gols cada.[16] No total foram 219 partidas e 110 gols, o suficiente para Diego Tardelli se tornar um grande ídolo da massa atleticana. Shandong Luneng[editar | editar código-fonte] Em 17 de janeiro de 2015 Tardelli foi contratado pelo Shandong Luneng da China por 5,5 milhões de euros.[17] Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte] Em 2005, foi convocado para a Seleção Brasileira, que disputou o Campeonato Mundial Sub-20 daquele ano, nos Países Baixos. O Brasil terminou a competição na terceira colocação, mesmo assim, Tardelli foi considerado um dos grandes destaques do torneio. No dia 28 de julho de 2009, suas atuações pelo Atlético Mineiro lhe renderam sua primeira convocação para a Seleção Brasileira principal, para o amistoso contra a Estônia, e, no dia 12 de agosto de 2009, fez sua estreia. A partir disso, o treinador Dunga o convocou para os jogos da seleção nas Eliminatórias da Copa. Diego Tardelli terminou o ano com expectativas de ir a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, mesmo sem ter feito gols enquanto esteve jogando pela Seleção Brasileira. No dia 26 de julho de 2010, Diego Tardelli foi convocado mais uma vez para a seleção principal para jogar um amistoso contra os Estados Unidos, onde entrou em campo nos últimos minutos e não marcou nenhum gol. Em outubro de 2013, escalado por Cuca para exercer a função do contundido Ronaldinho Gaúcho, Tardelli vem vivendo uma boa fase no Atlético. Contudo, apesar do grande momento, tem ficado de fora das listas de Luiz Felipe Scolari na Seleção, fator que vem externando certa insatisfação por parte do jogador. Segundo o próprio atacante[18]: “Agora novamente profissionais da bola estão pedindo minha convocação. Ainda não desisti, mantenho meus pés do chão, quem sabe o Felipão ou quem está lá dentro possa ver o meu momento” Em 19 de agosto de 2014, Diego Tardelli foi convocado pelo treinador Dunga para amistosos contra Colômbia e Equador.[19] No Superclássico das Américas de 2014, Tardelli fez os dois gols da vitória brasileira. O jogador fez parte do grupo que disputou a Copa América de 2015, no Chile.[20] Após muito tempo sem ser convocado, foi lembrado por Tite, para jogar as Eliminatórias da Copa de 2018 na Rússia, contra a Bolívia e Chile.
  3. Luiz Inácio Lula da Silva, nascido Luiz Inácio da Silva e mais conhecido como Lula (Caetés, 27 de outubro de 1945[nota 2]), é um político, ex-sindicalista e ex-metalúrgico brasileiro, o 35º presidente do Brasil entre 2003 e 2011. Membro fundador e presidente de honra do Partido dos Trabalhadores, elegeu-se presidente da República na eleição de 2002 e foi reeleito em 2006. De origem pobre, ele migrou ainda criança de Pernambuco para São Paulo com sua família. Foi metalúrgico e sindicalista, quando recebeu a alcunha "Lula", forma hipocorística de "Luís". Durante a ditadura militar, ele liderou grandes greves de operários no ABC Paulista. Em 1986, elegeu-se deputado federal pelo estado de São Paulo com uma votação recorde. Em 1989 concorreu pela primeira vez à presidência da República, perdendo no segundo turno para Fernando Collor de Mello. Também foi candidato a presidente outras duas vezes, em 1994 e 1998, perdendo ambas as eleições no primeiro turno para Fernando Henrique Cardoso. Venceu a eleição presidencial de 2002, contra José Serra, e foi empossado em janeiro de 2003. Na eleição de 2006 ele derrotou Geraldo Alckmin. O governo Lula teve como marcos a introdução de programas sociais, como o Bolsa Família e o Fome Zero, ambos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas como os programas que possibilitaram a saída do país do mapa da fome. Durante seus dois mandatos, empreendeu reformas e mudanças radicais que produziram transformações sociais e econômicas no Brasil, que triplicou seu PIB per capita e alcançou o grau de investimento. Na política externa, desempenhou um papel de destaque, incluindo atividades relacionadas ao programa nuclear do Irã, ao aquecimento global, ao Mercosul e aos BRICS. Lula foi considerado um dos políticos mais populares da história do Brasil e, enquanto presidente, foi um dos mais populares do mundo. Sua chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, derrotou Geraldo Alckimin na eleição de 2010 e foi reeleita em 2014 ao derrotar Aécio Neves. Lula manteve-se ativo no cenário político e passou a dar palestras no Brasil e no exterior. Em outubro de 2011, foi diagnosticado com câncer de garganta, submetido a quimioterapia e teve uma recuperação bem-sucedida. Em março de 2016, quando o governo Dilma Rousseff passava por uma grave crise política e econômica, a presidente o nomeou como seu chefe da Casa Civil. A nomeação foi suspensa pelo Supremo Tribunal Federal e apontada como manobra para evitar um futuro impeachment da presidente e para a obtenção de foro privilegiado, porque Lula estava sendo investigado pela Operação Lava Jato. Pouco mais de um ano depois, em julho de 2017, o ex-presidente foi condenado em primeira instância a nove anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Com a confirmação em segunda instância da sentença, que inclusive aumentou a pena, teve sua prisão decretada e entregou-se à Polícia Federal em abril de 2018. Desde então encontra-se detido na carceragem da instituição em Curitiba.
  4. https://www.facebook.com/gildo.alvesbezerra para todos que não entenderam o por que dessa denúncia, deixo aqui o facebook do meu professor de história, Obrigado. #DIGANAOAHOMOFOBIA #ELENAO #SOUGAYSIM
  5. Aquecimento global é o processo de aumento da temperatura média dos oceanos e da atmosfera da Terra causado por massivas emissões de gases que intensificam o efeito estufa, originados de uma série de atividades humanas, especialmente a queima de combustíveis fósseis e mudanças no uso da terra, como o desmatamento, bem como de várias outras fontes secundárias. Essas causas são um produto direto da explosão populacional, do crescimento econômico, do uso de tecnologias e fontes de energiapoluidoras e de um estilo de vida insustentável, em que a natureza é vista como matéria-prima para exploração. Os principais gases do efeito estufa emitidos pelo homem são o dióxido de carbono (ou gás carbônico, CO2) e o metano (CH4). Esses e outros gases atuam obstruindo a dissipação do calor terrestre para o espaço. O aumento de temperatura vem ocorrendo desde meados do século XIX e deverá continuar enquanto as emissões continuarem elevadas. O aumento nas temperaturas globais e a nova composição da atmosfera desencadeiam alterações importantes em virtualmente todos os sistemas e ciclos naturais da Terra. Afetam os mares, provocando a elevação do seu nível e mudanças nas correntes marinhas e na composição química da água, verificando-se acidificação, dessalinização e desoxigenação. Interferem no ritmo das estações e nos ciclos da água, do carbono, do nitrogênio e outros compostos. Causam o degelo das calotas polares, do solo congelado das regiões frias (permafrost) e dos glaciares de montanha, modificando ecossistemas e reduzindo a disponibilidade de água potável. Tornam irregulares o regime de chuvas e o padrão dos ventos, produzem uma tendência à desertificação das regiões florestadas tropicais, enchentes e secasmais graves e frequentes, e tendem a aumentar a frequência e a intensidade de tempestades e outros eventos climáticos extremos, como as ondas de calor e de frio. As mudanças produzidas pelo aquecimento global nos sistemas biológicos, químicos e físicos do planeta são vastas, algumas são de longa duração e outras são irreversíveis, e provocam uma grande redistribuição geográfica da biodiversidade, o declínio populacional de grande número de espécies, modificam e desestruturam ecossistemas em larga escala, e geram por consequência problemas sérios para a produção de alimentos, o suprimento de água e a produção de bens diversos para a humanidade, benefícios que dependem da estabilidade do clima e da integridade da biodiversidade. Esses efeitos são intimamente inter-relacionados, influem uns sobre os outros amplificando seus impactos negativos e produzindo novos fatores para a intensificação do aquecimento global. O aquecimento e as suas consequências serão diferentes de região para região, e o Ártico é a região que está aquecendo mais rápido. A natureza e o alcance dessas variações regionais ainda são difíceis de prever de maneira exata, mas sabe-se que nenhuma região do mundo será poupada de mudanças. Muitas serão penalizadas pesadamente, especialmente as mais pobres e com menos recursos para adaptação. Mesmo que as emissões de gases estufa cessem imediatamente, a temperatura continuará a subir por mais algumas décadas, pois o efeito dos gases emitidos não se manifesta de imediato e eles permanecem ativos por muito tempo. É evidente que uma redução drástica das emissões não acontecerá logo, por isso haverá necessidade de adaptação às consequências inevitáveis do aquecimento. Uma vez que as consequências serão tão mais graves quanto maiores as emissões de gases estufa, é importante que se inicie a diminuição destas emissões o mais rápido possível, a fim de minimizar os impactos sobre esta e as futuras gerações. A Organização das Nações Unidas publica um relatório periódico sintetizando os estudos feitos sobre o aquecimento global em todo o mundo, através do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). Estes estudos têm, por motivos práticos, um alcance de tempo até o ano de 2100. Todavia, já se sabe que o aquecimento e suas consequências deverão continuar por séculos adiante, e algumas das consequências mais graves, como a elevação dos mares e o declínio da biodiversidade, serão irreversíveis dentro dos horizontes da atual civilização. Os governos do mundo em geral trabalham hoje para evitar uma elevação da temperatura média acima de 1,5 °C, considerada o máximo tolerável antes de se produzirem efeitos globais em escala catastrófica. Num cenário de elevação de 3,5 °C a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) prevê a extinção provável de até 70% de todas as espécies hoje existentes. Se a elevação superar os 4 °C, uma possibilidade que não está descartada e que a cada dia parece se tornar mais plausível, pode-se prever sem dúvidas mudanças ambientais em todo o planeta em escala tal que comprometerão irremediavelmente a maior parte de toda a vida na Terra. Num cenário de altas emissões continuadas, superpopulação humana e exploração desenfreada da natureza, semelhante ao que hoje está em curso, prevê-se para um futuro não muito distante o inevitável esgotamento em larga escala dos recursos naturais e uma rápida escalada nos índices de fome, epidemias e conflitos violentos, a ponto de desestruturar todos os sistemas produtivos e sociais e tornar as nações ingovernáveis, levando ao colapso da civilização como hoje a conhecemos. Se considerarmos o futuro para além do limite de 2100, admitindo a queima de todas as reservas conhecidas de combustíveis fósseis, projeta-se um aquecimento dos continentes de até 20 °C, eliminando a produção de grãos em quase todas as regiões agrícolas do mundo e criando um planeta praticamente inabitável. A imprensa ainda dá espaço para controvérsias mal informadas, tendenciosas ou distorcidas sobre a realidade e a gravidade do aquecimento e seus efeitos, e influentes grupos de pressão política e econômica financiam campanhas de negacionismo climático, opondo-se ao consenso científico virtualmente unânime dos climatologistas. Este consenso afirma que o aquecimento global está acontecendo inequivocamente e precisa ser contido com medidas vigorosas sem nenhuma demora, pois os riscos da inação, sob todos os ângulos, são altos demais. De todas as ameaças ambientais contemporâneas, o aquecimento global é a maior e a mais grave, em vista dos seus efeitos múltiplos e duradouros e do seu impacto generalizado sobre todo o mundo. O Protocolo de Quioto e outras políticas e ações nacionais e internacionais visam a redução das emissões. Todavia, as negociações intergovernamentais não têm sido muito frutíferas, os avanços nas ações de mitigação e adaptação têm sido muito lentos e pobres, e a sociedade em geral resiste irracionalmente em acatar as conclusões da ciência e mudar seu estilo de vida. O resultado é que as emissões de gases têm crescido sem cessar, não havendo sinais de que se reduzirão substancialmente no futuro próximo. Ao mesmo tempo, as evidências concretas do aquecimento global e das suas consequências têm se avolumado ano a ano. Os meios necessários para evitar a materialização das previsões mais pessimistas já existem, como por exemplo o uso de energia limpa, redução nos níveis de consumo, reflorestamento, reciclagem de materiais e tratamento de resíduos, e devem ser implementados imediata e agressivamente em ampla escala, caso contrário essas previsões se materializarão de maneira inevitável.
  6. No dia 12 de junho de 2016, um atentado em Orlando (EUA) matou 50 pessoas em uma boate – essas que perderam suas vidas para o ódio disfarçado de mandamento religioso. E ao contrário do que foi divulgado pelas autoridades na ocasião, o atirador não entrou na boate sozinho para cometer aquele crime pavoroso. Junto a ele, todos VOCÊS que disseminam diariamente preconceito contra os homossexuais também apertaram aquele gatilho várias vezes contra os próprios irmãos que lá estavam apenas para se divertir. Preste atenção naquilo que você tem ensinado aos filhos, pois, se não considerou esse assassinato em série um sinal de alerta para refletir alguns discursos, certamente é uma pessoa problemática por quem o mundo deve ficar com um pé atrás daqui pra frente. Não adianta ir à igreja, dar o dízimo, oferta, fazer jejum, frequentar vigílias, falar a ‘língua dos anjos’ ou se batizar, se quando na hora em que Deus mais precisa de você para levar a palavra dele de “amar ao próximo como a si mesmo”, você resolve virar suas costas às minorias, que, aliás, são os cidadãos que mais precisam de apoio e afeto. Use um pouco o cérebro e se liga no mundo que você está construindo. Desligue-se do pastor um segundo e vá ler sua bíblia para interpretá-la sozinho, como um ser inteligente que é sim capaz de tal feito. Deixe de ser um cão adestrado e aprenda: o amor NÃO tem sexo. Cada um pode (e deve) ser feliz da forma que desejar, e não seguir as regras de acordo com o que você e/ou sua religião acham ser o correto. Inclusive, é bom reforçar novamente o óbvio aos desavisados: homossexualidade não é uma escolha, e sim, uma condição. Desta forma, entenda que não estamos falando de doença ou birra, meu amigo. A pauta é: fulano nasceu assim (hetero ou gay), e ponto final. Você, heterossexual, conseguiria “virar” homossexual? Claro que não. E não é pq tu é o fodão do gênero (acredite!). Acontece que isso não se “vira”, se nasce. E se Deus permite que a pessoa venha ao mundo já com essa condição é pq obviamente que isso não é nenhum crime aos seus olhos. Acorda! Ninguém optaria em ser gay para ter o mundo todo enchendo o saco, para ser morto ou para ser agredido gratuitamente. Sabe de uma coisa? As pessoas estão morrendo por causa dessa homofobia que você insiste em propagar pelo mundo, e pior: em nome de Deus. Muito cuidado com isso, ok? Atenção redobrada e boca lavada antes de mencionar o nome de Deus para camuflar seus preconceitos. Não é aquela história do “pare que ta feio”. Antes fosse. Agora tornou-se real: pare porque as pessoas estão morrendo – e suas mãos cada dia mais sujas de sangue.
  7. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
  8. danzeer

    aprovada

    É por essas e outras coisas que nós gays sofremos cada dia mais preconceito. Ser gay não é crime. Alguns homofóbicos acabam cada dia mais com nossas chances de conquistas, como respeito e admiração na sociedade. não falou nd com nada.
  9. É por essas e por outras coisas que nós gays sofremos mais preconceito. Ser gay não é ser depravado. Alguns homofóbicos acabam com nossas chances de conquistas respeito e admiração na sociedade.
  10. danzeer

    reprovada

    1 - cadê a print mostrando que fui eu que te matei? 2 - cadê a print de você na prisão falando isso? '' dm ? ''
  11. danzeer

    reprovada

    Seu nick: danzeer Nick do Administrador: Over Explicação: :v, me baniu do nada aí Print do banimento: https://imgur.com/a/2KDdSMh
  12. ce n disse isso KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
  13. vai toma no cu so tem o daarp nessa merda fudido, vou dar up nessa porra n tbm
  14. danzeer

    aprovada

    jogar gta v q é jogo de vdd nada ne
×